Quem Somos

Com 70 anos de história, o grupo tem uma trajetória consistente de crescimento e criação de valor. O grupo controla a JBS, a maior produtora de alimentos à base proteínas do mundo; a Eldorado Brasil, uma das mais modernas e sustentáveis fabricantes de celulose do mundo; Âmbar Energia, empresa de soluções em energia; Flora Higiene e Cosméticos, líder em diversos segmentos de cosméticos e limpeza; Canal Rural, maior plataforma de
informações sobre o agronegócio no Brasil; Lhg Mining, a nova alternativa da mineração para a descarbonização do aço; o Banco Original, banco exclusivo para os segmentos de corporate, atacado e agro; e o PicPay, um ecossistema financeiro com 35 milhões de clientes ativos. Além disso, mantém o Instituto J&F, um Centro de Educação para os Negócios que existe pra transformar empresas em instituições educadoras, atualmente contando com 900 alunos do Ensino Fundamental e Médio associados a programas de formação técnica.

Missão e Valores

Missão

Sermos os melhores naquilo que nos propusermos a fazer, com foco absoluto em nossas atividades, garantindo os melhores produtos e serviços aos clientes, solidez aos fornecedores, rentabilidade aos acionistas e a oportunidade de um futuro melhor a todos os colaboradores.

Nossos Valores

Nossas Crenças

Foco no Detalhe
Mão na Massa
As coisas só são conquistadas com muito trabalho
Pessoa Certa no Lugar Certo
Paixão pelo que se faz
Atitude é mais importante que conhecimento
O líder é quem tem que conquistar seus liderados
Liderar pelo exemplo
Foco no resultado
Trabalhar com gente melhor que a gente
Acreditar faz a diferença
Produtos e serviços de qualidade

Atuação Global

Fundador

FUNDADOR

JOSÉ BATISTA SOBRINHO (Zé Mineiro)

José Batista Sobrinho, nascido em dezembro de 1933 em Carmo do Rio Claro (MG), iniciou sua jornada empreendedora com a Casa de Carnes Mineira em 1953, junto com seu irmão Juvensor Batista. Este foi o ponto de partida para o que viria a se tornar a JBS décadas mais tarde. Mudaram-se para Brasília (DF) em busca de oportunidades de expansão. Enquanto Juvensor negociava com fazendas locais, José Batista, apelidado de Zé Mineiro, cuidava do abate e da distribuição da carne. Em 1975, a Casa de Carnes Mineira foi rebatizada como Friboi, após investimentos em matadouros e câmaras frias em Formosa (GO). Em 1978, José Batista Júnior convenceu o pai a abrir uma distribuidora de carnes em Brasília, o que se mostrou um sucesso. A Friboi expandiu sua atuação, adquirindo outros distribuidores na região e consolidando-se no Distrito Federal a partir de 1980.

Zé Mineiro diversificou os negócios, adquirindo a Cical, que foi renomeada Flora em homenagem à sua esposa. A Flora expandiu sua linha de produtos ao longo dos anos e tornou-se a divisão de Higiene e Limpeza da J&F. José Batista Júnior assumiu a direção da fábrica recém-adquirida, liderando a Friboi, enquanto Zé Mineiro focava na criação de gado, concedendo total autonomia ao filho para expandir os negócios.

Em 1982, o frigorífico em Formosa (GO) foi vendido e outro maior foi adquirido em Planaltina (DF). A partir de 1983, a Friboi começou a vender carne fora de Brasília, expandindo-se para mercados como o Rio de Janeiro. Wesley e Joesley, irmãos de José Batista Júnior, uniram-se a ele na gestão do Grupo, expandindo e diversificando as operações através da aquisição de frigoríficos e outras empresas, no Brasil e no exterior, transformando a JBF na líder global do setor de proteínas.

Seu Zé, como é conhecido, sempre teve confiança absoluta em seus filhos, atribuindo-lhes o mérito pelo sucesso da empresa. Atualmente, a JBS está presente em 190 países, com 200 unidades de negócios. Os valores que incorporou ao longo de sua trajetória, como simplicidade, franqueza, humildade, determinação, disciplina, disponibilidade e atitude de dono, definem a cultura empresarial do grupo. Esses valores fortalecem a identidade da empresa, promovem o engajamento dos colaboradores e garantem credibilidade no mercado. 

Acionistas

ACIONISTA

WESLEY MENDONÇA BATISTA

Nascido em Formosa (GO), em 1970, Wesley Mendonça Batista é empresário, acionista da JBS, a maior produtora de proteína do mundo, e um dos responsáveis pela internacionalização do grupo.
Quando estava prestes a completar 17 anos, Wesley começou a trabalhar como gerente da fábrica de sabão em Luziânia (GO), que o pai comprara anos antes para aproveitar subprodutos bovinos. Ele ficou no lugar antes ocupado pelo irmão mais velho, José Batista Júnior.
Na década de 90, Wesley foi designado para administrar a planta de um 3º frigorífico em Anápolis (GO), que tinha capacidade de abater mil cabeças por dia e já exportava para alguns mercados, colocando a Friboi em um novo patamar. 
A Friboi experimentou expansão vertiginosa a partir de 1996 e, em 2005, Wesley participou da compra da Swift da Argentina, a maior produtora e exportadora de carne bovina daquele país, no primeiro passo da internacionalização da Friboi, que dois anos depois passaria a se chamar JBS.
O ponto alto desse movimento aconteceu em 2007, com a compra da Swift dos Estados Unidos. Wesley liderou o processo de reestruturação da empresa, e em pouco tempo transformou-a em uma empresa sólida e lucrativa, que logo comprou alguns concorrentes nos EUA. Terminado esse ciclo, voltou ao Brasil em 2011, quando substituiu Joesley Batista na presidência da JBS.

ACIONISTA

JOESLEY BATISTA

Joesley Mendonça Batista, nascido em 1972 em Formosa (GO), é acionista da JBS, uma das principais empresas de alimentos do mundo. Ele iniciou cedo sua carreira nas empresas de seu pai, José Batista Sobrinho, seguindo os passos de seus irmãos mais velhos, Júnior e Wesley.
Aos 16 anos, em 1989, Joesley já estava envolvido nos negócios da Flora e logo assumiu a gestão do frigorífico em Luziânia (GO), posteriormente liderando outro em Planaltina (GO). Ele também começou a trabalhar na área financeira da Friboi, o que o preparou para mais tarde assumir responsabilidades nas áreas fiscal, contábil e de controladoria na J&F.
Sua atuação foi fundamental no crescimento acelerado da Friboi e nas operações que internacionalizaram a empresa, incluindo a aquisição da Swift nos Estados Unidos em 2005. Em 2007, Joesley liderou a abertura de capital da JBS, tornando-se presidente da empresa e contribuindo significativamente para seu planejamento estratégico.
Além de suas atividades empresariais, Joesley é presidente do Instituto J&F, que há 14 anos promove educação em gestão de negócios, tecnologia e veterinária para estudantes do Ensino Fundamental e Médio, integrando sala de aula e experiência prática nas empresas do grupo.

Histórico

1953 | A origem

Com origem em um pequeno açougue em Anápolis (GO), em 1953, o grupo J&F se
tornou nesses 70 anos o maior empregador do país. O patriarca do grupo, José
Batista Sobrinho, percorria fazendas com seu irmão comprando e revendendo gado.

Em pouco tempo, a Casa de Carnes Mineiras – e seu dono, agora conhecido como Zé
Mineiro – ficou famosa pela qualidade de seus produtos e se tornou a principal
fornecedora dos açougues da cidade.

Anos 60-70 | Expansão e diversificação

Nos anos 60, foram estabelecidos matadouros em Anápolis (GO) e Formosa (GO). Na década seguinte, a empresa diversificou, liderando o mercado de carne em Brasília. Em 1980, uma pequena graxaria deu origem à Flora Higiene e Cosméticos, que cresceu rapidamente até triplicar de tamanho entre 1978 e 1983.

Anos 80-90 | A segunda geração

Nos anos 1980, os filhos mais novos ingressaram no negócio familiar. Em 1988, Zé Mineiro comprou um frigorífico em Luziânia (GO), designando Wesley, com 18 anos, para gerenciar a unidade, enquanto Joesley, com apenas 16, assumia como gerente industrial da Minuano. Júnior liderava o ramo de sabão. O grupo continuou sua expansão, arrendando um frigorífico em Anápolis (GO) no início dos anos 1990, uma unidade anteriormente da Bordon, que seria adquirida pela JBS em 2003.

frigorífico em Anápolis (GO)
frigorífico em Anápolis (GO) – 1993
Swift Armour – 2005

Anos 2000 | A internacionalização

Com a incorporação das marcas e ativos da Bordon, a então Friboi se tornou líder no setor de proteína bovina no Brasil. Em 2005, iniciou-se a internacionalização com a aquisição da Swift Armour na Argentina, seguida pela compra de seis frigoríficos no país vizinho nos dois anos subsequentes.

Em 2006, a Friboi ingressou no mercado financeiro internacional com emissões de bonds, seguido pelo IPO em 2007, o maior já registrado no Brasil na época, adotando o nome JBS.

Em julho de 2007, a JBS comprou a Swift Co., que faturava cinco vezes mais, alcançando lucratividade sob a liderança de Wesley em menos de um ano. A diversificação de proteínas expandiu-se com a aquisição da Pilgrim’s Pride em 2009, e no mesmo dia, a incorporação da Bertin, consolidando a JBS como a maior produtora de proteína animal global.

Anos 2010 | Diversificação acelerada

A expansão continuou, em outros setores, como o Banco Matone, em 2011, que deu origem ao Banco Original. No ano seguinte foi inaugurada a Eldorado Brasil Celulose, uma operação criada do zero pelo grupo J&F e que em 2022 faturou mais de R$ 7 bilhões, com mais de 40% de margem líquida.

Em 2013 foi a vez de a JBS crescer na produção de aves e suínos no Brasil, com a aquisição da Seara.

O Canal Rural foi adquirido em 2013. Já a Âmbar Energia surgiu em 2015 e hoje tem uma capacidade de geração de energia de 1,9 gigawatt. A Flora dobrou de tamanho com a aquisição de marcas como Ox, Neutrox, Karina, Kolene e Francis.

Eldorado Brasil Celulose

Anos 2020 | Olhar para o futuro

Nos últimos anos, o grupo seguiu investindo na diversificação da sua atuação, com especial atenção para a tecnologia e o valor agregado em todos os negócios.

O Picpay, uma startup adquirida pelo grupo, recebeu investimentos que o levaram a se tornar o maior app de pagamentos do país e, depois, um ecossistema financeiro completo. Hoje, a empresa possui mais de 35 milhões de usuários ativos.

Em 2021, a JBS adquiriu a terceira maior empresa de proteína plant-based da Europa, a Vivera, e entrou na aquicultura por meio da aquisição da australiana Huon. Em 2022, adquiriu a espanhola Biotech e anunciou a criação de um centro de pesquisa em Santa Catarina, ambos voltados ao desenvolvimento de carne cultivada.

O último grande movimento de diversificação foi a criação da Lhg Mining, em 2021, a partir da aquisição dos ativos de minério de ferro e de manganês da Vale no Mato Grosso do Sul.

Ao olhar para o futuro, o grupo investe no Instituto J&F, um centro de educação para os negócios, que trabalha para transformar os negócios em empresas educadoras.

Rolar para cima